A Morte de Marat
Pintura de Jacques-Louis David

                 O oficio – Priscila Monteiro Santos (priscmonteiro.wordpress.com)

                 Tenho lido muito e escrito muito pouco, o que aparentemente é engraçado, sempre pensei que fosse o contrário, quanto mais lemos, mais escrevemos, mas é mentira, escrevemos muito mais quando estamos lendo menos.

                  Não procuramos o estilo do outro, encontramos o nosso próprio, não tentamos copias mal feitas, imperceptíveis do que outros dizem. Dizemos o que queremos, sem pensar em outros, apenas escrevemos porque é o que faz sentido. Coloco no plural para dar valor a minha própria voz, para tornar o que é meu de muitos, mas na verdade isso é o que ocorre comigo.

                  Queria entender por que ler, às vezes me bloqueia? é isso que acontece, fico ali embasbacada com o que leio, e sem nenhuma coragem de escrever as minhas próprias linhas.

                   Muito pudor, ler o outro me dá pudor, mas não lê-lo tem me dado angustia, então melhor leio, e depois quando não aguento mais, ou quando as mãos são mais velozes que os meus pensamentos, quando escrever está em mim tão gritante que rompe todas as barreiras da minha preguiça e de todos os obstáculos que me enguiçam, então escrevo.