Declaração de nostalgia by Jenis

Ainda o tenho em meus poemas
Já se foram três, até onde contei
a presença secreta dele conforta
sem razão aparente 
refúgio conhecido 
familiar
não particularmente seguro 
mas me chama para a volta 
quase que em necessidade

Quero ver de novo 
viver de novo 
quero ter 13 anos
pedir desculpas vestida de xadrez
quero olhar o desejo pela janela me perguntando
porque não tenho coragem
Por que me sinto olhando
por aquela maldita janela a 
todo instante? 

Quero vê-lo 
arrancar a Torre Eiffel com os dentes de novo
sentir o cheiro de maracujá
mesmo que saiba 
saiba que não é isso o desejo 
mesmo que seja.

E se 
(maldita junção)
é medo de por no lugar?
se o vivido já chegou no seu máximo
me encontro em um padrão já tão baixo
que não vejo modos de superar?

Quem sabe…

eu sei
eu só sei 
que naquela música eu vivo 
antes um dia declarada a mim 
funciona agora ao contrário, aparentemente 
-Na sua casa eu permaneço 
cômodo por cômodo pacientemente
te esperarei lá como uma pedra
te esperarei lá sozinho- sozinha

E pior
mas muito provável 
nesse lugar de angústia sou eu 
que me ponho
nesse lugar vulnerável de querida veneração 
nesse lugar tão familiar a fim de 
fugir 
fugir do que não sei 
fugir do assustador 
para voltar ao refúgio conhecido

Sabe…
às vezes o melhor a se fazer
é ir dormir.

Un comentario Agrega el tuyo

Deja una respuesta

Introduce tus datos o haz clic en un icono para iniciar sesión:

Logo de WordPress.com

Estás comentando usando tu cuenta de WordPress.com. Salir /  Cambiar )

Imagen de Twitter

Estás comentando usando tu cuenta de Twitter. Salir /  Cambiar )

Foto de Facebook

Estás comentando usando tu cuenta de Facebook. Salir /  Cambiar )

Conectando a %s