Éon

el

By Hang Ferrero

não é necessário compreender a divisão dos quartos de hora, mas a do espaço-tempo daquela ventura do ocaso que não por acaso, se faz primeiro, primário e fabuloso; o beijo.

não há mais a inclinação do prisma, por certo, mas a beleza da fuga das cores, revelada, quando tudo foge pros cantos do mundo e o tempo, se agiganta e a algazarra vai cessando e abrindo espaço pra um sopro mais leve, sutil e bonito feito o vento flamulando o afago; o sussurro.

é quando toda a força, comedida na distância, recua, pra estenderse teto da noite, e eis o nascimento de outra arquitetura. nada se perde quando o sol se detém no arrebol; o fogo.

Un comentario Agrega el tuyo

  1. hangferrero dice:

    Grato queridos, pelo apoio.

    Le gusta a 1 persona

Deja una respuesta

Introduce tus datos o haz clic en un icono para iniciar sesión:

Logo de WordPress.com

Estás comentando usando tu cuenta de WordPress.com. Salir /  Cambiar )

Imagen de Twitter

Estás comentando usando tu cuenta de Twitter. Salir /  Cambiar )

Foto de Facebook

Estás comentando usando tu cuenta de Facebook. Salir /  Cambiar )

Conectando a %s