Para te ver de novo

por Jenis queria te escrever palavras doces sinceras enquanto te perco de vista por um instante um momento não suportado pelo pequeno e eterno tempo que meus olhos passam longe dos teus e ao encontrar seu brilho lacrimoso novamente logo me voltaria a sorrir por entre as vírgulas do poema

Presságio

por Jenis vi um passarinho em meu caminho esqueça os azuis os verdes de que se falam nas canções o meu presságio é mais bonito é de passarinho que faz morada passou cantando baixinho brincando em cima de mim perguntei a ele por que não azul pra mim não tem amor hoje? não, por você…

Desejos por Jenis

queria matar a mão frouxa queria matar o cortisol que chega aos poros queria matar os lábios cerrados o vestido apertado o controle que foge aos olhos as pausas hoje em dia permanecem por mais tempo que o passar do café mais do que suficiente para esquecer da escrita para me fazer perder nas feridas…

Esperando a hora certa

por Jenis dois, três, quatro e nem sei mais quantos já passaram depois que o amarelo do casaco se fundiu ao amarelo da cadeira a espera não um trem mas uma marca do grande relógio quem vai à estação para não embarcar em nada? mais um passando! Júlio Prestes. lotado bloqueiam por alguns segundos a…

Declaração de nostalgia by Jenis

Ainda o tenho em meus poemas Já se foram três, até onde contei a presença secreta dele conforta sem razão aparente refúgio conhecido familiar não particularmente seguro mas me chama para a volta quase que em necessidade Quero ver de novo viver de novo quero ter 13 anos pedir desculpas vestida de xadrez quero olhar…

Por agora não tem poesia

por Jenis 21.10.21             Hoje foi sobre voltas. Lembranças, dores de passados presentes. Surpreendentemente cotidiano, tudo que passa, fica. Acreditava já ser bem resolvida com esquemas de relacionamentos, ou sobre quem me afetou em minha interação com ____. Bom, talvez me falte resolução, mas estou no caminho. Fico tão feliz de estar no caminho.            …

Brechas by Naomi Lustosa

Soterrada de destroços de histórias que acumulei um deserto com dunas vento forte areia no corpo batendo como tiro quando? não sei onde está nem sei onde eu to mas sigo fingindo que sou quem? enquanto isso espero com uma faca dançante em minha garganta tentando ignorar que eu to aqui que você tá lá…

Apneia voluntária

por Jenis Perverso Se sufoca por exagero aperta sem medo de morrer e quando já não dá mais solta solta como quem diz te amo mas se morre já foi se mata não se lembra mais depois que solta pensa que acabou e faz de novo um aperto de corpo próprio com medo de outro…

Quero Preencher por Jenis

palavra palavra minha passatempo da paixão que desce e sobe amarra e estica dá volta no branco preenche dentro das margens dando desculpa a existência do vazio porque se existe vazio faço aqui sua contraponta o que nasce pra tomar lugar e fica demandando presença mais e sempre mais tece até embaixo como quem quer…

Demais pra si by Jenis

E, se no espaço agora se faz parte, com nome e endereço, carcaça de natureza é abençoada através da luz e agrega ao fim mais uma parte mais um pedaço vira vazio de cheio vazio de si vazio de só