Naturalis Legatum

Por: Ed Silvahttps://meupontoevirgula.home.blog/ Os forasteiros do tempo abraçaram desertosViram os céus de tantas cores e noites sem estrelasDeixaram pegadas eternas e lugares sem soluçõesTiveram fome e também bonançaEm lugares que ninguém diria ter A vida se rebusca ao passo que o espírito se formaOs atravessadores de mares procuravam ver alem do horizonteDias desacreditáveis, ventos preguiçosos,…

O tempo que existimos

Uma das minhas certezas é que costumo me apaixonar por quem me faz escrever, ainda que esse caminho possa ser destrutivo. Mas não venho (desta vez) falar sobre a paixão ou a destruição. Quero dizer sobre o entre em que me coloco quando estou contigo. Encontro entre nós o gosto do risco e saboreio como…

Resposta

Por: Plinio Cesar Batistahttps://www.facebook.com/plinio.c.batista Você me perguntaSe estou apaixonadoDe leve,Como deveria ser a vidaVou te deixar um spoillerSe você me fizer uma mandingaEu caioUse todas as simpatiasSó não use um perfume carregadoQue isso irá nos afastarPois a rinite me atacandoE eu vou morrer de tanto espirrar.De forte, se tiver que serQue seja um tragoNos sirva…

Te faz oásis, e não deserto.

Por: Patricia Hironimushttps://masticadoresbrasil.wordpress.com/?s=Patriciahttps://revistacronicarte.wordpress.com/ Queria a calmaria do amor em ondas leves, gotas de espuma tocando seus dedos….E um beijo longo e demorado no céu da minha boca, o som da concha soprada no vento.A brisa…A carícia…Desce o teu corpo na encosta e me aperta entre minhas pernas na maré cheia…. o cais à deriva se…

Crônica do mundo paralelo XI | fake news by Hang Ferrero

e se contas a fulano o que visse e à sua maneira, este, conta a beltrano e este, a sicrano, que tem todo um jeito particular de ver as coisas e me conta outra história. e se pudermos assoprar levianamente tais disposições? quem se importa com quem? pseudos evidências produzidas por teus temores, prefiro pensar…

Saída

Por: Raphael Netherhttps://raphaelnether.wordpress.com/category/poemas/ Há um lugar seguro na linha de fogoO degelo da desesperança cristalizada Eu parei de dormir depois de tantos pesadelosEu e meu pequeno barco, destruídos na tempestade As estrelas se perderam de mimOu eu que me perdi delas? Há uma saída da horda furiosaNão se preocupe com elesEles não entendem a profundidade…

Esmigalhe

Por: Gutto S. Costahttps://www.facebook.com/escritorgutto.scosta Esmigalhe as migalhas até que elas se tornem pó finíssimo.  Deixe que a menor brisa, trazida pela saudade, as leve para longe.  Esmigalhe-as até que o seu coração não deseje mais se satisfazer com elas. Esmigalhe as migalhas até que elas sejam transformadas em poeira fininha.  Esmigalhe até que a menor…

No canto da página by Viviane de Paula

Lembre-se das violetas que lhe inspiravam afeto, perfumando toda casa para tuas confissões em versos. Não faça promessas tardias, escolha por hora desandar-me em poesia.

Impronunciado

Por Dani Raphael Dos nomes que me pertencem Um é selado, impronunciado Mal(dito) pelos mal(dizeres) Roubado pelos não(calados) Que pronunciam no silêncio dos seus pensamentos Enquanto oram pelo nome(meu) pronunciado Perdão,  perdão Ela não sabe o que faz. Imagem pexels