Violino

By Daniela S. Terehoff Merino Violino Gostava tanto dos teus acordes… Por que, então, silencioso, dormes?

Rotina

por Jenis Barcelar Ontem eu penduro todas as roupas com a esperança de que a chuva as molharam de novo Hoje eu levanto às 7 e 15 com o corpo firme flutuo a cabeça encharcada Amanhã eu caminho todos os dias com a certeza de que o próximo pé tocará o chão

Conselhos e clichês

(Blog, link) Todo começo tem seu final. Mas afinal, vamos pra frente que atrás vem gente. Sem medo de ser feliz, sem medo de tentar, Mesmo que seja só, sem parente nem aderente, Pois antes só, que mal acompanhado. Deixa rosnar o cão da incerteza, pois cão que ladra não morde. E se morder um…

Implorar com instância

By Naomi Lustosa Tenho me envolvido com amores ausentesNão sei se eles buscam me ensinar a gostar de mim Sóou se apenas me entregam constantemente a faltamas de todossinto a distância Por vezes, um intervalo causado por mim e meus medosMinha angústia drena minhas veias e bagunça meus movimentosÉ por causa dela que me escapo…

Garoto Salino

by Patrícia Hironimus Você mexe com coisas adormecidas em mim…toda essa selva fechada…me faz relva e planta um jardim. Um desejo sem fim e inunda meus pensamentos…eu que lancei meu corpo no fundo, prometendo não mais subir…estou aqui nessa clareira. Olhando você!!!! Estrela cintilante em meu caos… Estou à nau… à deriva e confesso que…

Minhas regras

Por Dani Raphael «Meu corpo, minhas regras… Mas quais regras? Se ainda me dizem que não posso amar. Se continuam batendo nas minhas costas dizendo que existem normas e que devo me encaixar. Até semana passada eu acreditava que o amor é sentimento livre, que apenas se vive o estar dentro dele, mas percebi que…

Enterro fundo esse amor desgovernado

By Naomi Lustosa Eu queria sentar de frente ao seu prédio pra escrever essa despedida. Guardo a imagem do seu espaço como quem carrega um anel ganhado por alguém. A verdade é que tenho me despedido de você um pouco todos os dias. Há um tempo caminho em um ritual fúnebre: a cada passo te…

Paratóxico

By Hang ferrero partus cobrava–se demasiado, reforçando o tanto que era cobrado, ao ponto de sem perceber–se ácido, desejar mesmo, cônscio, não abster–se de relações doentias de afetar–se rápido. partus tinha consciência de que mundo morria em nome desse comportamento repetitivo de linha de sobrevivência, mas nada podia e, aprendeu o nome disso e pronunciava…

Para você acreditar

por Jenis olhei um pouquinho para além de mim parecia escuro penumbra navegante me atravessou por inteira mas lá longe lá bem longe pude ver retornar ao mar pude ver o farol coberto de afeto quente avassalador que tirou o negro de vista pude ver a esperança retornar pra mim