Cem anos de Zé Kéti: se perguntarem, diz que eu sigo vivo por aí

por Duanne Ribeiro by Itaú Cultural Zé Kéti é o samba, a voz do morro, sim, senhor. Rei dos terreiros, natural do Rio de Janeiro, o músico, nascido em 1921 e morto em 1999, completaria 100 anos neste 16 de setembro. Criadas no convívio da Portela, marcadas pela vida do povo, cheias de ressonâncias políticas, suas…

oãçaralceD by Miriam Costa

Link blog Miriam & Cronicarte Meu coração se rendeu aos seus raptos líricos, ao seu olhar que busca os ritmos, à sua cara selada, que acompanha a monotonia dos espaços sem alma.As observações motivadas pelas mesmas, também um conjunto de mistérios, profundezas e graça!Prazeres que escorregam ao som do relógio e acabam entre beijos, esquecendo…

Pó by Hang Ferrero

um rodamoinho. uma brincadeira com a geometria da poeira, um peito humanóide, ressoando a plástica da vida. a fusão: emoção e escuta, reverberando palavras imensas, mas todas no diminutivo qué prá retardar o tempo das coisas, pra essa coisa adulta. tá! é clausura também! e talvez, egoísmo e, acrescenta-se dois tantos desse elemento filosofal; por…

Mundo azul – Por Daniela Terehoff Merino

Mundo azul Certo dia, ouviu a frase: “Azul é a cor mais quente” e ficou fascinada. Resolveu testar. Acendeu uma das bocas de seu fogão e comprovou: _ Não há dúvidas: azul é a cor mais próxima do centro. É onde o calor se faz mais forte…Foi então que teve uma ideia: fez um desenho…

Poesia de banheiro -Por Jenis

Poesia de banheiro por Jenis A silhueta em luz branca da porta a única conexão com o fora O fora que é todo ao contrário seco, luminoso, aberto Não, senhor, eu prefiro o dentro, muito obrigada. Fico, com agrado, junto às minhas cerâmicas quadradas a luz queimada e o chiado que me lembra chuva. Canto…

A sinestesia do afeto – Por Priscila Monteiro Santos

A sinestesia do afetopor Priscila Monteiro Santos (priscmonteiro.wordpress.com) Ele olhava os olhos da garota em sua frente, mas não enxergava nada. Sentia o cheiro do seu perfume, mas não reconhecia o odor, ele, tocava em sua pele, e nada podia ser acionado para reconhecer a sensação; ela por sua vez, via na cor dos olhos…

Minhas cidades II – Mozileide Neri

Minhas cidades II Macapá não te deixa ir embora, o calor de Palmas aquece todos os tipos de pele, em São Luís os azulejos portugueses não falam brasileiro.

As estrelas são falsas – Por Daniel Pissetti Machado

As estrelas são falsas, meu amor. De algum modo elas foram colocadas lá. Mas não são somente elas que mentem a você. A mesma grande estória vem sendo recontada. Há gerações. Estamos no capítulo final. Deve durar uns 5 anos ainda. Vivemos apenas para contar estórias. Você vive momentos. Fuja das multidões. Ilumina a ti….

A entrevista com a colaboradora Mozileide Neri, para o Extra:

“Desde adolescente desenho abstrações, observo as cores e suas texturas. Só consegui aprofundar os estudos e práticas nas disciplinas de arte na graduação em produção cultural (IFRJ/Nilópolis). Fui aluna do Parque Lage (RJ) e ouvinte em algumas disciplinas na EBA/UFRJ”. Más… en ExtraBrasil