Intensa Idade

el
Por Stenka Razin

Quando eu falo da minha época.
Quando dou conselhos a meu passado.
Fica claro que eu não soube viver
Então decidi me entregar
Transbordar para os lados
Dizer o que não posso esconder
Amar a mini vida que me resta
presta atenção que essa estação
é uma fresta da imensidão
o tempo só faz correr
Problema da alma que pede calma
Ele não sabe ouvir, nem ler
nem sentir, nem querer
Não recua!
Depois que eu decidi andar de alma nua
sou mais leve e que me leve
o beijo a boca tua.
Que nos aproxime esse encurtamento
aproveitamento cronometrado sublime
Eu falo olhando no olho
Não me retiro do campo
Não pretendo ser santo
Sigo aos prantos mas não me recolho
Quebro a cara, mas não dou ré
fico de pé não importa o ataque,
que aguente o baque, pois não me encolho.
O convite vem rente ao vento
Furacão arrasta o periférico,
joga longe o superficial
mas o centro recebe bem
Aquele que o desafia,
junte-se a mim e a minha poesia.
Meu eu animal pronto a me entregar
Arraste-me também, se quiser arrastar
Troquemos forças,  abracem-se as revoltas
Esperança de que seja a somatória
Pega a minha mão, deixe-me esparramar em ti
Não reúna meus cacos, varra-os daqui
me jogue fora, me troque na feira
Moa meu ser e me cheira
Faça o que quiser comigo
que eu corro em tuas veias
só não me deixe passar batido.

Deja una respuesta

Introduce tus datos o haz clic en un icono para iniciar sesión:

Logo de WordPress.com

Estás comentando usando tu cuenta de WordPress.com. Salir /  Cambiar )

Imagen de Twitter

Estás comentando usando tu cuenta de Twitter. Salir /  Cambiar )

Foto de Facebook

Estás comentando usando tu cuenta de Facebook. Salir /  Cambiar )

Conectando a %s